A inteligência artificial — IA — (ou Artificial Intelligence) engloba o desenvolvimento de uma capacidade semelhante à humana. Por meio de softwares e algoritmos, as máquinas começam a aprender e a acumular conhecimento. Com isso, conseguem tomar decisões sem que estejam programadas previamente.

Além de ser aplicável em outros setores, a inteligência artificial no marketing tem a sua importância, pois melhora a experiência do usuário.

Diante do uso desse elemento, 49% dos clientes compram com maior frequência e 34% gastam mais dinheiro. Para completar, a adoção da ferramenta permite obter automação e aumentar a produtividade em até 40%.

Esse é um tema que merece atenção porque, até 2020, 85% das interações com os consumidores acontecerão sem a atuação humana. Para entender melhor o aspecto, veja como a IA pode ser aplicada ao marketing e à experiência das pessoas. Acompanhe o artigo!

Buscas por voz

A pesquisa por voz tornou-se uma realidade graças aos assistentes virtuais. A presença de recursos, como Siri, Google Assistant e Alexa, permite que você pesquise sem utilizar as mãos.

Esse é um exemplo de abordagem voltada para a experiência do usuário. Afinal, o objetivo é que as pessoas possam fazer as buscas de interesse com muita comodidade e eficiência. A etapa inclui um processamento intenso de dados de voz, conversão para texto e pesquisa dos melhores resultados.

Para as empresas, será preciso adaptar suas páginas e conteúdos para que sejam mais facilmente encontrados pelos recursos inteligentes.

Atualmente, 65% das pessoas entre 25 e 49 anos já utilizam esses elementos, ao menos, uma vez por dia. Para o futuro, 61% afirmam que usarão mais a ferramenta — então, é o momento de se preparar.

Marketing preditivo

Entender o comportamento do consumidor nunca foi tão importante. Em um cenário em que os chamados micromomentos definem as ações, é preciso estar um passo à frente. Nesse contexto, a inteligência artificial no marketing permite desenvolver uma estratégia preditiva.

Com informações analisadas de forma inteligente, é possível se preparar para novas necessidades, exigências e desejos.

Ao pensar no layout de um site, por exemplo, o marketing preditivo ajuda a selecionar elementos que favorecem a experiência. No e-commerce, é um jeito de aumentar as chances de compra.

Em média, o uso de análises preditivas eleva a conversão em 23%. Como, até 2020, 51% das pessoas esperam que as empresas possam antecipar suas necessidades, essa abordagem se torna essencial.

Automação de tarefas

A busca por produtividade e eficiência, sem perder qualidade, também se estende ao setor de marketing. Com uma comunicação que depende de diversas estratégias e que pretende alcançar mais pessoas, é fundamental poder atuar de forma automatizada.

A boa notícia é que a inteligência artificial vem para ajudar. Um sistema inteligente pode fazer a qualificação de leads, o que melhora a atuação do time de vendas.

Também há recursos de anúncios digitais que permitem atingir indivíduos com o perfil de interesse e construir abordagens altamente segmentadas. Para completar, é uma forma de integrar canais e chegar ao omnichannel.

O fato é que, até o final de 2019, é esperado que o setor de automação cresça 8,55% e atinja 5,5 bilhões de dólares. Com a presença de IA, o futuro é ainda melhor.

Bots

Os bots são programas ou algoritmos capazes de executar ações específicas. A aplicação de inteligência artificial no marketing por meio desses recursos, inclusive, favorece a automação.

Um exemplo é o uso de chatbots. Eles criam interações com as pessoas a partir de respostas pré-determinadas. Com cada vez mais desenvolvimento, há a proposta de chegar a uma comunicação especialmente orgânica e natural.

Na prática, permite que os usuários aproveitem o autoatendimento e resolvam problemas e dúvidas quando e onde quiserem.

Além de trazer eficiência, é capaz de melhorar a experiência do usuário. De acordo com uma pesquisa, 69% dos participantes preferem chatbots a apps para se comunicarem com a empresa.

Inclusive, 37% dos que responderam usariam o recurso em uma emergência, o que indica a facilidade de uso e a integração no cotidiano das pessoas.

Preços dinâmicos

Acertar na precificação é essencial para que o seu negócio se destaque, sem comprometer a lucratividade. Para se manter competitivo e obter resultados diferenciados, há a possibilidade de usar preços dinâmicos.

Esse uso de inteligência artificial no marketing inclui uma avaliação complexa de fatores, como limites pré-definidos e ações dos concorrentes.

De maneira dinâmica e contínua, o recurso muda os preços do seu site para criar a melhor e mais competitiva oferta. Além de evitar o trabalho de ter que mudar todos os produtos, é um jeito de garantir alinhamento de atuação.

A Best Buy usou a estratégia e viu, em 2013, os lucros aumentarem 25%. Trata-se, portanto, de uma boa oportunidade de segmentar e de obter um bom desempenho.

Personalização

Em um ambiente competitivo e no qual muitas marcas disputam a atenção, falar diretamente com o cliente faz a diferença. A personalização é uma das chaves para levar a experiência do usuário para um novo nível e consolidar resultados melhores.

É o caso de apostar no envio de e-mails e ofertas personalizadas, de acordo com os interesses de cada um. O uso de inteligência artificial também aparece nos “produtos recomendados” para consumidores específicos e até no direcionamento de conteúdo para cada pessoa.

Para ter uma ideia, mensagens personalizadas têm taxas de conversão, transação e engajamento que são até 6 vezes maiores. Mais que um diferencial, o uso desse recurso já se tornou uma obrigação. Afinal, 78% dos consumidores só se engajarão com ofertas se elas forem baseadas em seu comportamento anterior.

Foco no usuário

Com um número maior de opções e a busca por uma experiência diferenciada, os consumidores esperam estar no centro das interações. Com o omnichannel, por exemplo, é possível dar foco máximo ao cliente. Isso é igualmente viável com o uso de inteligência artificial.

Com os recursos certos, dá para unir personalização, segmentação e automação, entre outros elementos.

Também há como aprender com os usuários e buscar meios de atendê-los de forma específica. Serviços digitais podem oferecer alternativas self-service e customizáveis, por exemplo.

Como 81% dos clientes desejam que as marcas os conheçam e saibam como e quando abordá-los, trata-se de um aspecto essencial para o sucesso.

O uso da inteligência artificial no marketing é cada vez mais intenso e eficaz. Com a escolha das ferramentas certas, há a chance de melhorar a experiência do usuário e de se destacar dos concorrentes.

Você já se deparou com ou adota alguma dessas aplicações? Vá para os comentários e participe do debate!